sábado, 23 de fevereiro de 2013

BELVEDERE BRUNO


A PORTA
Belvedere Bruno

A porta fechou.
Inesperadamente.

Ficou um cheiro de jasmim,
e a lembrança suave das palavras
sempre tecidas em ternuras.

No porta-retrato, aquela alegria serena.

Tudo permanece
como num quadro de memória.
Só ele não está mais aqui.

QUARTA-FEIRA
Belvedere Bruno

Caí de quatro
ao saber
que, de fato,
acabou
nosso romance,
que sempre esteve
fadado ao fracasso...

Meus olhos
não queriam enxergar.
Só viam lantejoulas,
vidrilhos , paetês
e o som era sempre
de carnaval.

Na verdade, sempre foram
cinzas de quarta-feira.

VOOS
Belvedere Bruno

Um bem-te-vi nesta manhã
não cantou.
O sol se escondeu.
À noite, uma estrela parecia brilhar,
mas logo se esquivou.

Risos desapareceram.

Um silêncio imponente
ocupou o espaço onde antes
habitava um menino
que voou.

Tragam terços,
hai-cais, óleo ungido,
cantos de corais.

E Paz.

ROSAS PÁLIDAS
Belvedere Bruno

Retirei do buquê
a rosa pálida.
Nada queria
que me lembrasse
tristezas, nem
frustrações
em cadeia.
Refiz o buquê,
deixando
apenas os botões.
Decidi aguardar
o florescer.

RECOLHIMENTOS
Belvedere Bruno

por tempo
indeterminado
recolho
as alegrias
dou férias
aos meus sorrisos
e me entrego
aberta
às tristezas
de minhas perdas
sangria inútil

SUICÍDIO
Belvedere Bruno

hoje senti vontade
de matar a outra
que existe em mim
ser uma cansa
imagine duas
penso seriamente
em matar a segunda
e ficar apenas
comigo

PORTAS ABERTAS
Belvedere Bruno

Portas abertas...
A bem da verdade,
nunca uso trancas.

Quantas vezes
me abaixo, catando
mil e tantos cacos.

Não me despedaço!

Apenas proíbo
que tons ocres
decorem meus dias.

PSIU!
Belvedere Bruno

Silêncio!
Há vozes que se retraem
com medo da vida...
Sofrências que isolam,
num arrastar de correntes,
lágrimas em ponto-de-cruz...

Coroas de espinho,
enfileiradas para a via crucis.

Por que sofro,
se nada tenho com isso?

SOMBRAS DE NATAL
Belvedere Bruno

Tâmaras, damascos e passas
sobre a mesa me trazem
delicada imagem de papai.
Tonalidade, textura e o arranjo cuidadoso
dão perfeição a um surpreendente quadro de saudade

FICA
Belvedere Bruno

Peço que não vás.
Fica mais um pouquinho.
Como passarei os dias
sem ouvir teu riso e sem fitar
o verde- musgo de teus olhos?

Peço que não vás.
Há um chamado do mar, do sol,
das flores, (sobretudo das azaleias),
pedindo que fiques.

Por isso, não vás!
Diz-me que nada do que falam é verdade,
e que nunca houve prenúncios de partidas...

UM POEMA SIMPLES
Belvedere Bruno

Amanhece. Debruçada
à janela, vejo o movimento
dos pescadores.

Há contagiante energia.
A monotonia, se passa,
não encontra onde estacionar.

Por alguns minutos,
sonho pertencer
a tão vibrante universo.

Integro-me, desatando os nós
que me prendiam
à opacidade dos meus dias.


Biografía:

Belvedere Bruno nasceu no dia 17 de outubro, em Niterói/RJ, onde reside.

Cedo despertou para as letras, fato que deve ao incentivo de seu pai, que sempre presenteou os filhos com livros, além de ser ele um ávido leitor, de quem herdou tais características.


14 comentários:

  1. Naldo, obrigada por esse lindíssimo e valioso presente. A generosidade sempre me comove e quando ainda vem com esses mimos....haja coração!
    Bjs
    Belvedere

    ResponderExcluir
  2. Respostas
    1. Obrigada, querida Poeta e amiga.
      Bjs

      Excluir
  3. Belvedere,

    Parabéns pelos belos textos.
    Vc. deveria escrever mais poesias, pois suas linhas no remetem a pura beleza.

    Bjks

    MEG KLOPPER

    ResponderExcluir
  4. Que belo presente! Gostei de todas as poesias, um encadear de sentimentos muito bem colocados nestes versos.

    ResponderExcluir
  5. Concordo plenamente, Um presentaço a nossa tão querida escritora Belvedere Bruno, brilhante homenagem, pois ela é uma pessoa admirável. É uma personalidade respeitável de nossa cidade, devido ao seu grande carisma e todo seu potencial literário tornei seu fã. Parabéns a Belvedere e a iniciativa do Naldo Velho. Sou fã dos dois intelectuais.

    Abraços


    ALBERTO ARAÚJO

    ResponderExcluir
  6. Bel: linda Página, excelente seleção de Poemas, tudo a altura de seu merecimento.
    Ao nosso Bardo querido, muito mais que Parabéns por espalhar Poesias: admiração, amor e carinho.
    Aos dois : meu todo bem querer!
    nAnnamerij

    ResponderExcluir
  7. Parabens a vcs poetas maravilhos com sensibilidades a flor da pele...
    Maravilha de poemas...
    Bernah Voigt

    ResponderExcluir
  8. Se bem entendi,
    Sem seu bem-te-vi,
    Assim...
    Pontos de cruz,
    Estrela sem luz,
    Há que se viver
    Um luto que da
    Lida doída dói!
    Há no horizonte
    Distante,eu sei,
    Vestígios fortes
    Da força que vem:
    Pescada com luta,
    Em tempestade...
    Redobrada na fé,
    Brotou de ferida!
    Impotente por dor
    Indivisível, de amor,
    Ouso trazer-lhe
    Em cântaro,
    Óleo ungido e meu
    Cântico calado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pelo carinhoso poema.
      Belvedere

      Excluir
  9. Hoje dispenso os cinemas.
    Nota 9,99 para seus poemas.
    Nota 10,1 para sua imagem.
    Média 10 sem picaretagem.
    Mais do que merecida.
    Louvor à Poetisa querida!

    Haroldo P. Barboza

    ResponderExcluir
  10. Que felicidade ver meus amigos aqui comentando o meu trabalho. Um beijo carinhoso. Fiquei muito feliz com esse retorno. Recebi tb muitos emails. Valeu! Obrigada, Naldo!
    Belvedere

    ResponderExcluir
  11. Parabéns, Belvedere, pelos sensíveis poemas, de força e delicadeza - "lágrimas em ponto-de-cruz". Abraço,
    Lena Jesus Ponte

    ResponderExcluir
  12. Querida Bel !

    Parabéns pelos belíssimos poemas , como sempre arrebentando em suas escritas .
    Com dizia Mario Quintana " Um bom poema é aquele que nos dá a imprenssão de que está lendo a gente , e não a gente a ele " . É assim que me sinto lendo os seus poemas ...
    Te admiro muito menina flor ... Um abração !!!!!!!
    Edinha Durães

    ResponderExcluir